latinitates

ESTUDOS CLÁSSICOS E HUMANÍSTICOS

Nosso Acervo

O Pharmakós: a questão do sacrifício voluntário na Medéia de Eurípedes e de Sêneca
Categoria:
Capítulo de Livro
{{variant.name}}:
{{opt.name}}
{{opt.value ? '' : opt.name}}
{{opt.value ? '' : opt.name}}
Descrição

A questão do sacrifício de humanos como um pré-requisito feito por uma divindade para obtenção de benefícios perpetuou o imaginário humano desde os seus primórdios, pelo qual a morte sacrificial de Cristo em resgate de uma humanidade pecaminosa é, por excelência, o exemplo que mais conhecemos na atualidade. Entretanto, a questão do sacrifício de humanos, voluntário ou involuntário; a questão do sofrimento dos inocentes reabre os pontos de uma ligadura do nosso pensamento moderno com o ritual da Targélia grega, cujo aspecto encontra semelhanças noutras sociedades antigas, pelo que já evidenciamos a judaica. Permeando as dolorosas vias desse sentimento judaico-greco-romano reascenderemos o papel do sacrifício de humanos na tragédia greco-romana, nomeadamente a questão do Pharmakós particularmente nas tragédias homônimas – Medéia(s) de Eurípides e Sêneca.

Autora Ruth Serrão da Silva

Co-autor: Weberson Fernandes Grizoste

Lívia Maria da Silva

© Reservado a reprodução para fins não comerciais

Tem interesse em comprar uma das publicações? talvez seja possível,

entre em contato conosco.