latinitates.com

Confira a programação completa (Aguarde)

Mesas Redondas

MESA 1

OS ESTUDOS CLÁSSICOS EM PARINTINS

dia 20 de Novembro: 13:00-14:00 horas, no Auditório do CESP
 

LEGADOS GRECO-ROMANOS À PARINTINS

Professor Alexandre Lira Sá [FACIBRA]

A primeira e principal herança é a Língua Portuguesa, um dos idiomas oriundos do latim. Por outro lado, sabemos que os jogos olímpicos nasceram na Grécia Antiga. Contudo foram os romanos que ganharam uma maior notoriedade pelos seus ludi circenses e scaenici. Parintins, situada no interior do Amazonas, por exemplo, é anfitriã de um dos mais famosos eventos lúdicos da atualidade na América do Sul, e não é uma festa singular porque tal evento acontece na mesma época em que o folclore nos países de língua portuguesa é exaltado, nas suas variadas formas. Estas semelhanças somam-se a outras que, embora ambíguas, têm a sua origem na antiguidade greco-romana. A questão das Identidades Literárias tem suscitado diversas discussões no âmbito das identidades regionais. Sabemos que Augusto, ciente que os Gregos eram muito mais conhecidos pelos seus poemas épicos do que pelas armas, convocou os poetas de Roma a enaltecerem as origens do Império. No Brasil, durante o segundo Império houve diversas incursões de poetas tentando fabricar sob o apelo do Imperador D. Pedro II um poema épico nacional à altura dos poemas de Camões, Virgílio e Homero. Isso demonstra que vivemos sob a égide greco-latina em que um povo é identificado pelo seu gênio poético tanto quanto, ou até mais do que, pelas armas.  Depois de cinco séculos de aculturação europeia no Brasil, muitas histórias autóctones se confundiram com lendas europeias, podemos personificar esta confusão na própria lenda que deu nome à Amazônia e ao estado do Amazonas, o mito das amazonas. A transposição das amazonas para a América do Sul é um exemplo inevitável da balbúrdia provocada pelo conflito entre as civilizações.

 

Palavras-chave: Raízes clássicas. Parintins. Literatura clássica. Intertextualidades. Transposições.
 

PARINTINEIDA: HERANÇAS GRECO-ROMANAS

Professora Rafaela Pereira Andrade [UEA]

O referente trabalho tem como bagagem de estudo a etnografia cultural sobre a “Origem dos Mitos”, realizado com base na leitura e análise do livro “Identidade Cabocla” de Alfredo Saunier, tendo como ponto de partida o poema “Parintineida” que apresenta o tripé entre passado, presente e futuro, na qual se representa pelo próprio nome, que faz jus à “Parintin(s)-e-(En)eida” de Virgílio, ressaltando a essência e o eixo principal do sagrado da mitologia grega. A união dos dois nomes funde a discussão sobre o legado das heranças greco-romanas com intuito em desvendar mistérios místicos, origem dos mitos e sua evolução quanto à recepção cultural de uma sociedade, buscando desde o berço da antiguidade da Grécia Antiga até o contemporâneo. Desta forma, o estudo exalta um arcabouço alegórico antigo que se metamorfoseia com o passar do tempo e se expõe de diversas formas, especialmente nos dias atuais, e, principalmente no período do Festival Folclórico, que é visivelmente revelado em toadas, danças, contos, mitos e lendas da cultura Parintinense.

 

Palavras-chave: Mito. Lenda. Festival Folclórico. Homem contemporâneo.
 
 

RECEPÇÃO CATULIANA NO 2º ANO DO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA DE PARINTINS

Professora Elimary Picanço Picanço [SEDUC-AM]

O objetivo da pesquisa constituiu em apresentar os poemas de Catulo para alunos do segundo ano do Ensino Médio, a partir dos conceitos de estética da recepção, para que pudessem interpretar através dos conhecimentos prévios, assim não ouve explicações sobre as características da escrita do poeta e o nome, para que durante a leitura fosse possível perceber quem as escreveu, uma forma de apresentar a poesia clássica aos alunos, pois um autor clássico influência outros escritos, os alunos puderam observar as mesmas características em demais poemas antes lido por eles, levando em conta que a interpretação de uma leitura é realizada por meio de outra, assim como temáticas presentes na nossa atualidade, visto que literatura clássica excede gerações e pessoas em momentos diversos interpretam de formas diferentes, são obras que deixam marcas no leitor, levando portanto para à vida toda, e assim apresentou-se um poeta clássico para que lhes proporcionassem todas as emoções de uma leitura, porém que não estivesse apenas no efeito em que o texto traz sobre o leitor, e sim que sentissem vontade de pesquisar sobre o poeta.  A metodologia da pesquisa de cunho bibliográfico; e no arcabouço teórico autores da literatura Clássica Ítalo Calvino (1993), Northrop Frye (1973), José Pereira Tavares (1940), para os estudos da Estética da Recepção, Hans Robert Jauss (1979), Wolfgang Iser (1979), Regina Zilberman (2008), Débora Regina Vogt (2010), a leitura dos clássicos no Ensino Médio, Roland Barthes (1987), João de Barros e Guerreiro Murta (s/d), J. Hillis Miller (2002), Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), Paul Ricoeur (1995), Nelson de Matos (1971), Maria Bernardes Herdeiro et al (1980), e para falar do poeta Catulo utilizou-se Carlos Ascenso André (2005), embasamento metodológico Maria Cândida Soares Del-Masso (2012) Eva Maria Lakatos, Marina de Andrade Marconi (2003), Ernani Cesar de Freitas (2013), Antônio Carlos Gil, 1946 (2002).

 

Palavras-chave: Literatura Clássica, Catulo, Estética, Recepção.
 

MESA 2

ESTÉTICAS CIENTÍFICAS E CULTURAIS DO MUNDO ANTIGO

dia 20 de Novembro: 15:30-17:00 horas, no Auditório do CESP
 
 

CONSIDERAÇÕES SOBRE A PAIDEIA E A POLÍTICA NA REPÚBLICA DE PLATÃO

Prof. Doutor Alexsandro Medeiros [UFAM]

 
A República de Platão contém em suas páginas o que se poderia chamar de um projeto “político pedagógico” pois toda a argumentação ali posta recai fundamentalmente sobre duas questões: a política na pólis e a educação (paideia) dos governantes. A República foi pensada a partir de uma base educacional pois, segundo o filósofo, somente através de uma educação apropriada os homens saberiam conduzir a sociedade por caminhos que a levariam à plena felicidade. Desta forma, o objetivo desta apresentação é ressaltar os aspectos políticos e pedagógicos presentes na obra em análise e como eles se relacionam entre si de modo a formar um conjunto coerente de ideias. O projeto de Platão visava instaurar uma política fundamentada nos valores dos seus governantes, que precisavam ser educados para este fim para poder governar com justiça e sabedoria a sociedade. Através da educação os governantes – “reis-filósofos” –, deveriam se distinguir dos demais habitantes pelas suas virtudes, pois uma sociedade, para que ela seja justa, precisa ser governada por pessoas sábias e justas, que precisam, por sua vez, receber uma formação específica para exercer sua função.

 

Palavras-chave: Paideia. Política. Governantes. Reis-Filósofos.
 

O IMPACTO DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR NO ENSINO DA ‘GRÉCIA ANTIGA’ E NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA

Profª Doutora Mônica Xavier de Medeiros [UEA]

 
A pesquisa analisa as representações sobre ´Grécia Antiga’ em livros didáticos das séries finais do Ensino Fundamental, para tanto analisou-se duas coleções: História, Sociedade e Cidadania escrita por Alfredo Boulos Júnior e editada pela FTD e a coleção Araribá Mais: História que é uma obra coletiva e foi organizada pela Editora Moderna. As duas coleções foram publicadas no ano de 2018, portanto após a aprovação da Base Nacional Comum Curricular/BNCC e, nesse sentido, articularam as diretrizes da BNCC ao conteúdo didático apresentado, o que permitiu verificarmos, como objetivo secundário da pesquisa de que forma a aprovação da BNCC impactou o ensino de História da Antiguidade. Foram utilizados quatro parâmetros para analisar os livros didáticos, sendo estes: a) A partir das exigências da nova legislação; b) Enquanto artefato cultural ligado às grandes editoras e, portanto, uma mercadoria; c) Verificamos como a historiografia e as pesquisas mais recentes sobre a Grécia Antiga foram incorporadas nas coleções; d) Examinamos a didática dos livros, como apresentam o conteúdo e as atividades propostas. A análise permite afirmar o esforço das editoras na adaptação dos materiais didáticos à BNCC, nesse sentido percebemos a ênfase atribuída ao Período Clássico e a determinados temas como a democracia, as diferenças entre Atenas e Esparta, Olimpíadas e Mitologia Grega. A História Política é evidenciada através do estudo das formas de governo e guerras, eclipsando outras abordagens tais como a História Cultural e do Cotidiano.

 

Palavras-chave: Grécia Antiga; Livro didático; BNCC.